PIS Folha de Pagamento

Instituído pela Lei Complementar nº 7/1970, o PIS – Programa de Integração Social – é uma contribuição tributária que tem como destino os trabalhadores das e

PIS Folha de Pagamento

mpresas privadas regidos pela CLT. Seu caráter é social e seus fundos têm como foco financiar o pagamento do abono salarial e do seguro desemprego.


As empresas pagam o PIS conforme o valor bruto de faturamento. O montante cobrado no regime cumulativo é de 0,65% e no não cumulativo de 1,65%, sobre a renda bruta de uma empresa.

PIS Sobre Folha de Pagamento

No entanto, algumas empresas não tem lucro. Mas estas também devem colaborar para o fundo que garante direito aos trabalhadores. Templos de qualquer culto, partidos políticos, instituições de educação e assistência social (imunes ao Imposto de Renda), sindicatos, federações e confederações, conselhos de fiscalização de profissões regulamentadas, instituições de caráter filantrópico (isentas de imposto de renda), entre outros também precisam pagar o PIS.

novas-regras-pis-para-calendario-pis-2016Nestes casos, o PIS é cobrado sobre o valor da folha de pagamento. Ou seja, todas as entidades sem fins lucrativos pagam uma contribuição tributária uma alíquota de 1% sobre o total da folha de pagamento dos salários de seus funcionários.

Não são apenas os salários dos funcionários que contam para a base do cálculo do PIS das entidades sem fins lucrativos. Os rendimentos de qualquer natureza entram também nessa conta. Ou seja, são computadas para o cálculo do PIS as gratificações, comissões, ajudas de custo, adicional de férias, adicional de função, adicional noturno, horas extras, quinquênio, descanso semanal remunerado, diárias superiores a 50% do salário e 13º salário.

Benefícios Fora do cálculo

Estão fora deste cálculo valores do salário-família, auxílio alimentação, vale transporte, aviso prévio indenizado, FGTS pago ao trabalhador em caso de rescisão de contrato ou outras indenizações por dispensa, licença-prêmio e férias indenizadas e incentivos pagos nos casos de adesão de planos de demissão voluntárias.

Deixe um comentário!

comentários